Já pensou sobre por que você pensa da maneira que pensa?

Um dos principais fatores que nos fazem enfrentar os problemas que temos hoje em dia é a maneira como pensamos. Por definição, nós, meros seres humanos, fazemos parte de “uma espécie com um cérebro altamente desenvolvido, com inúmeras capacidades como o raciocínio abstrato, a linguagem, a introspecção e a resolução de problemas” (veja mais aqui). Mas, por que diabos continuamos a pensar da mesma maneira de sempre?

"Estamos aqui para fazer alguma diferença no universo, se não, porque estar aqui?"

Pensar sempre da mesma maneira nos faz ter as mesmas conclusões.

Diversas revoluções marcaram o rumo da nossa existência. Tivemos a Industrial, Cultural, Tecnológica (esta mais recente) e, atualmente, ouso dizer que estamos vivendo a Revolução Mindset, ou do pensamento, como preferir. Transversal a todas que a antecederam, ela nos faz pensar em novas práticas industriais, a partir da nossa consciência dos recursos físicos, naturais e ambientais, do uso das novas tecnologias como extensão do que somos (como já pensava McLuhan), sem deixar de mencionar a internet das coisas, realidade aumentada, virtualidade do ser humano e os últimos avanços de uma nova geração já presente entre nós: a dos robôs. Graças a esta revolução, estamos sendo capazes de encontrar soluções para problemas e desafios que há tanto tempo nos assolaram, em razão da mudança dos mecanismos como pensamos e analisamos ou vemos de outro ângulo, por outras perspectivas.

Mindset”(ou “configuração da mente”) é a palavra da moda, pelo menos em áreas de atuação como a minha. É comum ouvir nos corredores de agências publicitárias ou nas reuniões de planejamento frases como “precisamos entender o ‘mindset’ dos nossos consumidores” ou “precisamos mudar nosso ‘mindset’ para encontrar novas estratégias capazes de gerar novos resultados que sejam satisfatórios” (blá, blá, blá…). Nem vou comentar sobre a busca brutal pelo “share of mind”. Enfim, “pensamento” é a bola da vez!

gol_sem_angulo

Porém, com a velocidade das informações geradas, cada vez mais perdemos em nossa sociedade a capacidade crítica do pensamento. Perdemos o senso de que a maneira como pensamos é capaz de resolver nossos problemas e desafios, principalmente quando isso é feito de forma coletiva, que por décadas arruinaram nossas casas, ruas, cidades e, por incrível que pareça, nosso mundo.

Somos o que somos hoje por causa da maneira como pensamos lá atrás. O lugar que ocupamos hoje é fruto dos pensamentos que tivemos no passado. Não está satisfeito? Mude a maneira como pensa seu futuro.

Me assusta incomoda muito o fato de viver numa sociedade dominada por “formadores de opiniões”. Aliás, outro termo da moda, capaz de definir até uma nova “profissão”. O primeiro ponto que devemos discutir é a “existência de uma forma” para a opinião. Opiniões são múltiplas, singulares, paradoxais. Impossível termos uma “forma” para nossas opiniões. Afinal, somos 7 bilhões de caras no mundo! O segundo é analisar se alguém é realmente capaz de formar a opinião de outros. Discutiremos sobre isso numa próxima reflexão.

 

“Há certo gosto em pensar sozinho.
É ato individual, como nascer e morrer.”
(Carlos Drummond de Andrade)

Um fato que recentemente me chamou atenção a respeito sobre “como pensamos” foi a reflexão feita pelo ator e humorista @leandrohassum durante uma entrevista feita pela apresentadora Ana Maria Braga. Questionado pelo processo em que se submeteu a uma cirurgia bariátrica, ele comentou que o maior desafio enfrentado foi a mudança do pensamento. Ele afirma que uma cirurgia feita no corpo físico não mudou sua maneira de pensar. Assim, era difícil manter a dieta necessária tendo, ainda, desejos e a mesma maneira como pensava no que gostava de comer.

giphyLogo, precisamos exercitar mais o pensar. Pensar de maneiras diferentes. Ter novas perspectivas sobre os mesmos assuntos. Precisamos pensar nas formas como nos relacionamos com as pessoas, nas nossas relações com o meio onde vivemos, como nos posicionamos em relação aos recursos naturais, ao que consumimos.

Se você continua achando que mudar a maneira de pensarmos as coisas ainda é uma conversa futurista, se prepara(!); ainda hoje algo irá te surpreender e, quando menos esperar, terá se tornado obsoleto e ultrapassado. Mude já a sua forma de pensar, porque pode ser que amanhã seja tarde demais.Think DifferentMude HOJE sua maneira de pensar, e amanhã verás que suas barreiras não existem mais.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

10 Comentários em "Penso, logo existo!"

avatar

Allan Farias da Silva
Visitante
Allan Farias da Silva
1 ano 1 mês atrás

Fantástico, meu irmão!!
Sempre me surpreendente, mais essa…
Show seu texto!
Taí uma forma de resolvermos uma grande parte dos problemas dessa sociedade… Pensando diferente… Simples assim!

Willian
Membro
1 ano 1 mês atrás
“Penso, logo existo”. A frase que a maior parte da população já ouviu e ninguém reflete sobre o valor que ela carrega. O texto joga luz nisso aí, muito bom! Só pra adicionar valor na conversa: meditar e ler o livro “O Poder do Subconsciente” ajudam a desenvolver o hábito de pensar de forma consciente. Pra mim, escolher o que pensar (ou mudar a forma de pensar) é mais difícil do que parece. Requer esforço diário. Eu não poderia deixar de citar o texto “Isso é água – David Foster Wallace fala sobre a vida” (por Fábio Rodrigues) publicado no… Leia mais »
Graça Taguti
Visitante
Graça Taguti
1 ano 1 mês atrás

Parabéns, Pedro. Temos que aprender, definitivamente, a lidar com o provisório. O mutante, o pensamento mobile, politransversal. Só assim, conseguiremos sair definitivamente das “caixas” vivenciais que nos paralisam e impedem de alçar voos, muito além dos horizontes das inovações corriqueiras! Quero ler mais!!

Amanda
Visitante
Amanda
1 ano 1 mês atrás
Vim aqui comentar esse texto maravilhoso! Meu amigo Pedro, excelente, texto! Muitíssimo bem escrito! Gostei muito do exemplo que vc citou do Hassum! Torna mais fácil assimilar o poder que pensamento tem! E eu acredito muito nisso! A gente não consegue resultados diferentes fazendo a mesma coisa todo dia. Precisamos fazer diferente. E todo ato começa no pensamento! Sobre os formadores de opinião eu vejo o seguinte: estamos num momento em que as pessoas têm comportamento de manada (li outro dia esse termo e achei interessante a colocação): se alguém, “formador de opinião”, diz que algo é bom, todos querem… Leia mais »
Felipe Salazar
Visitante
Felipe Salazar
1 ano 1 mês atrás

Irado! Vamo que vamo! Pensando diferentes, novas relações cognitivas e hábitos vão surgindo. Exercitar o cérebro é um must nesta mudança de era.

wpDiscuz